Arquivos da categoria: Diversos

Espaço para divulgar textos de assuntos relacionados ao tema do Bibliovgas

Use o Instagram para divulgar o seu trabalho

BIBLIOTEC√ĀRIO, COMO VOC√ä USA O INSTAGRAM PARA DIVULGAR SEU TRABALHO?

Olá, tudo bem com você?

Aqui √© a Fab√≠ola Bezerra e estou te escrevendo para partilhar com voc√™ umas observa√ß√Ķes que fiz ao visitar o Instagram de alguns colegas bibliotec√°rios.

Tenho tido a curiosidade de visitar alguns perfis de bibliotecários no Instagram, minha atenção tem sido focada na forma que cada um apresenta seus serviços. Como toda rede social, o Instagram possui algumas peculiaridades que precisam ser observadas e levadas em consideração a fim de se obter resultados positivos.

Vou listar abaixo alguns detalhes que observei, ou melhor, o que senti falta:

. A maioria dos perfis n√£o possuem autoria, ou seja, os servi√ßos s√£o oferecidos sem que as pessoas tenham conhecimento ‚Äúquem‚ÄĚ oferece o servi√ßo. Vamos combinar que ningu√©m compra um servi√ßo de quem n√£o se conhece;
. Os perfis n√£o apresentam informa√ß√Ķes geogr√°ficas de localiza√ß√£o. Vamos supor que o servi√ßo ofertado em algum momento precise ser presencial, como viabilizar esse encontro baseado no custo?
. Os perfis, em sua maioria, não esclarecem qual o seu propósito;
. Os perfis, em sua maioria, não definem seu nicho de atuação;
. Os perfis não apresentam telefone de contato. Se o perfil é corporativo e oferta um serviço, porque não fornecer um telefone para contato? Muitas pessoas preferem se comunicar inbox;
. Se você está oferecendo um serviço, é interessante informar a forma de pagamento;
. O p√ļblico n√£o est√° identificado, a comunica√ß√£o √© direcionada da mesma forma para todos;
. Praticamente inexiste o uso de # nas publica√ß√Ķes. A utiliza√ß√£o de # cria uma intera√ß√£o indireta e direciona o conte√ļdo para o p√ļblico alvo.

A lista acima apresenta o meu olhar crítico sobre alguns perfis de bibliotecários, ou melhor, supostamente são de bibliotecários, como não apresentam uma autoria clara, apenas trabalhei com essa suposição.

O grande diferencial em uma rede social √© a cria√ß√£o de engajamento, nesse sentido, o uso de # viabiliza essa intera√ß√£o. Sugiro que seja feito uma pesquisa dentro do Instagram, junto ao seu p√ļblico, para identificar quais as # que eles utilizam. Crie um arquivo no Word e relacione todas as # que conseguir identificar, mantenha-o atualizado, salve da √°rea de trabalho e consulte todas as vezes que for fazer uma nova postagem.

Meu foco dentro da rede social sempre foi o Facebook, confesso que o Instagram n√£o fazia parte do meu radar, como n√£o me sentia familiarizada com ele o suficiente, sempre deixava para l√°. H√° pouco tempo, resolvi direcionar esfor√ßos e tempo para estudar o Instagram, j√° observo sinais de melhoras no Instagram da T-shirts MURAL, o que tenho usado como ‚Äúexperimento‚ÄĚ. Ao perceber a import√Ęncia de trabalhar as quest√Ķes listadas acima, fiz altera√ß√Ķes significativas no Instagram da T-shirts MURAL caso tenham curiosidade, consultem ‚Äútshirts_mural‚ÄĚ.

Espero que gostem das dicas, caso queiram, compartilhem conosco o seu Instagram. Lembrem-se ‚ÄúQuem caminha sozinho pode at√© chegar mais r√°pido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe‚ÄĚ. (Clarice Lispector)

Boa leitura!

Um abraço,

Fabíola Bezerra


@tshirts_mural

Meu município não tem bibliotecário

Meu município não tem bibliotecário

Esta é uma constatação comum, mas são poucas pessoas que se preocupam realmente com este fato.

Na maioria das vezes apenas os bibliotec√°rios ficam preocupados com o fato e exigem que o seu CRB fa√ßa a fiscaliza√ß√£o e ‚Äúobrigue‚ÄĚ o munic√≠pio a realizar concurso.

Mas √© preciso entender como funciona a administra√ß√£o p√ļblica.

O primeiro ponto √© pesquisar se existe o cargo de bibliotec√°rio na Lei Org√Ęnica do munic√≠pio.

Caso não exista apenas o Executivo (o prefeito) pode propor a criação de cargos.

Uma vez criado o cargo, ou caso ele já exista, é preciso aprovar a dotação orçamentário, que é sempre votada no ano anterior, onde será descrita a quantidade de cargos e a remuneração.

Aprovado o orçamento, o executivo irá determinar em qual momento serão feitos os concursos.

Concursos p√ļblicos s√£o um problema a parte, pois dificilmente se realiza concursos para poucas vagas.

As empresas de concurso fazem ‚Äúgratuitamente‚ÄĚ todo o processo, desde que fiquem com a receita das inscri√ß√Ķes, mas isto s√≥ √© vi√°vel se existirem v√°rios cargos e vagas dispon√≠veis, o que permite ter milhares de inscritos.

Após a realização do concurso a nomeação tem dois anos para ser efetivada com possibilidade de prorrogação.

Estas prorroga√ß√Ķes podem ser apenas uma desculpa para deixar o √īnus da contrata√ß√£o para o novo prefeito, que certamente ir√° prorrogar por mais tempo ainda, pois toda nova administra√ß√£o sempre encontra os cofres vazios.

A falta de bibliotecário é uma decisão política, e só será revertida com força política.

Dificilmente haver√° um movimento popular pedindo a cria√ß√£o do cargo ou de concurso. Por isso precisamos de articula√ß√Ķes pol√≠ticas.

N√£o adianta esperarmos apenas pelo CRB, Associa√ß√Ķes e Sindicatos, cada bibliotec√°rio, ou simpatizante da biblioteconomia, deve conversar com o seu vereador, deputado ou senador (voc√™ lembre em quem votou?) e pedir que eles fa√ßam a√ß√Ķes que fortale√ßam e melhorem a situa√ß√£o das bibliotecas no seu munic√≠pio.

Este √© um ano de elei√ß√Ķes e precisamos aprender a nos articular para que mudan√ßas positivas aconte√ßam.

Para termos mudanças neste ano, comece por mudar a sua atitude, acabe com a passividade de esperar que a solução venha pelos outros.

Lei 13.601/2018 РRegulamentação da profissão do Técnico em Biblioteconomia

LEI No 13.601, DE 9 DE JANEIRO DE 2018
Regulamenta o exercício da profissão de Técnico em Biblioteconomia.

O P R E S I D E N T E D A R E P √ö B L I C A

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o O exercício da profissão de Técnico em Biblioteconomia é regulamentado na forma desta Lei.

Art. 2o Considera-se Técnico em Biblioteconomia o profissional legalmente habilitado em curso de formação específica.

Art. 3o São requisitos para o exercício da atividade profissional de Técnico em Biblioteconomia:

I Рpossuir diploma de formação de nível médio de Técnico em Biblioteconomia, expedido no Brasil, por escolas oficiais ou reconhecidas na forma da lei;

II Рpossuir diploma de formação de nível médio de Técnico em Biblioteconomia, expedido por escola estrangeira, revalidado no Brasil de acordo com a legislação em vigor;

III – (VETADO);

IV – exercer suas atividades sob a supervis√£o de Bibliotec√°rio com registro em CRB.

Art. 4o Compete aos Técnicos em Biblioteconomia, observando-se os limites de sua formação e sob a supervisão do Bibliotecário:

I Рauxiliar nas atividades e serviços concernentes ao funcionamento de bibliotecas e outros serviços de documentação e informação;

II – auxiliar no planejamento e desenvolvimento de projetos que ampliem as atividades de atua√ß√£o sociocultural das institui√ß√Ķes em que atuam.

Art. 5o (VETADO).

Art. 6o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Bras√≠lia, 9 de janeiro de 2018; 197o da Independ√™ncia e 130o da Rep√ļblica.

MICHEL TEMER

Dicas sobre a Prestação de Serviço

Cuidados com a Prestação de Serviço

Parabéns, você conseguiu um cliente e ele quer contratá-lo, e agora?

Agora é um momento importante que muitos empreendedores esquecem dos detalhes.

Muitos trabalhos s√£o conseguidos atrav√©s de amigos, indica√ß√Ķes, isto cria um ambiente informal baseado apenas na confian√ßa entre as partes.



Você deve documentar a proposta de trabalho.

A falta de formaliza√ß√£o causa muitos atritos, criam expectativas diferentes entre as partes, onde cada um diz que ‚Äúpensou‚ÄĚ que o combinado era algo diferente do que foi entregue.

Para evitar estes conflitos, elabore uma proposta de trabalho que deve conter claramente:

1- Quem est√° contratando e quem ir√° realizar o trabalho.
2- A descrição detalhada do que será executado com data de início, carga horária diária ou semanal, e a previsão de entrega do trabalho.
3- O valor que ser√° pago por cada etapa, e o valor total.
4- A forma de pagamento (cheque, deposito em conta, em dinheiro, etc.) . As datas que os pagamentos ser√£o realizados, e a multa por atraso no pagamento.
5- Que tipo de recibo você precisará entregar: recibo, RPA, nota fiscal.
6- Deixar claro quem √© o representante do contratante que ir√° fazer o ‚Äúaceite‚ÄĚ do trabalho e identificar o que precisa ser modificado. Isto evita voc√™ terminar o trabalho e aparecer algu√©m dizendo que n√£o vai pagar, porque n√£o era o que ela queria.
7- Assinatura do representante do contratante e do contratado. Hoje em dia é possível aceitar até um email, ou mensagem, desde que fique claro que quem contrata aceitou sem ressalvas a proposta apresentada.

www.nelsonoliveiradasilva.com.br/cursos

Dicas para quem est√° a procura de Emprego ou Trabalho

O primeiro ponto é não ficar somente procurando vagas em sites de emprego, jornais ou nas redes sociais.

Você precisa aprender a se divulgar.

Antes de pensar em como se divulgar é preciso criar LEADS. O que é um LEAD? Lead é um contato, pode ser um email, telefone, perfil de rede social, etc, o importante é saber identificar o perfil deste lead para poder direcionar o que, e como enviar a sua divulgação.



Você deve dividir os leads em categorias: família, contatos, clientes, amigos, ou pelos segmentos que você quer atuar.

Se a sua experiencia ou vontade for atuar em Biblioteca Escolar, todas as bibliotecas da sua regi√£o ser√£o LEADS.

Para cada categoria ser√° um tipo de mensagem.

Outro ponto importante é que antes da divulgação é preciso desenvolver autoridade, reconhecimento, relacionamento e engajamento.

Ninguém gosta daquele amigo que só liga quando precisa pedir algo, ou aqueles emails ou telefonemas que estão sempre vendendo algo.

Autoridade/Reconhecimento, voc√™ desenvolve sendo refer√™ncia no seu campo de atua√ß√£o, isto √© uma avalia√ß√£o externa, n√£o adianta se apresentar como autoridade se somente voc√™ acha isto. O seu numero de seguidores nas redes sociais pode ser um term√īmetro da sua autoridade/reconhecimento, desde que voc√™ as utilize para difundir suas ideias, projetos, trabalhos. N√£o adianta usar a rede social apenas para divulgar as festas e passeios que voc√™ foi, por isto √© importante saber utilizar as redes sociais, que s√£o praticamente gratuitas, para a sua divulga√ß√£o profissional.

Relacionamento/Engajamento √© constru√≠do atrav√©s de suas postagens, artigos, participa√ß√Ķes em eventos profissionais ou sociais. √Č estar dispon√≠vel a ajudar, dar dicas sem pedir algum retorno direto pela a√ß√£o.

Outro ponto importante é sair da zona de conforto: costumamos visitar sempre os mesmos locais e amigos.

Na biblioteconomia temos a mania de ir apenas nos eventos da nossa √°rea e preparar trabalhos apenas para os eventos da nossa √°rea, quando na maioria das vezes o p√ļblico que precisa dos nossos servi√ßos est√£o em eventos de outras √°reas. Cada um deve procurar identificar eventos onde est√° o seu poss√≠vel cliente/ empregador e desenvolver estrategias de participa√ß√£o.

Divulgar que faz trabalhos de referencia bibliográfica, normalização de trabalhos, em grupos de bibliotecários é chover no molhado.

A divulgação mais básica é um cartão profissional, que você entrega em uma conversa pessoal quando a pessoa demonstra interesse na sua atividade profissional.

Desenvolva a sua apresenta√ß√£o pessoal “elevator pitch”, √© aquela resposta de no m√°ximo 1 minuto que voc√™ usa quanto te perguntam: “O que voc√™ faz?” “No que voc√™ trabalha?”

Precisamos aprender a definir o nosso ‚Äúmercado‚ÄĚ, o perfil de quem precisa dos nossos servi√ßos/produtos e em cima disto definir as melhores estrat√©gias de divulga√ß√£o, mas antes de divulgar √© preciso construir um relacionamento com este mercado.

O mercado atual tem muitos desempregados, por isto é necessário ter iniciativa e aprender a criar oportunidades e desenvolver estratégias que nos deem destaque neste ambiente concorrido.

www.nelsonoliveiradasilva.com.br/cursos

Como escolher Software para Bibliotecas

Uma pergunta recorrente feita pelos bibliotecários nas redes sociais ultimamente é: Qual o melhor software para a minha Biblioteca?
Pela minha experi√™ncia n√£o existe uma resposta √ļnica, que satisfa√ßa todos os tipos de bibliotecas e acervos pessoais ou empresariais existentes.
Primeiro é preciso responder algumas perguntas para definir o seu perfil:
1. Quer (pode) gastar? Se sim até quanto?
2. Domina inform√°tica para instalar e configurar sozinho o software?
3. Prefere tirar duvidas, resolver bugs, em um grupo de usuários, ter um suporte do fabricante ou contratar alguém?
4. O sistema é para uso em apenas um computador, em rede ou web?
5. Quais fun√ß√Ķes e ferramentas voc√™ precisa (consulta, controle de empr√©stimo, relat√≥rios, etiquetas, etc)
6. √Č para uso pessoal ou corporativo?
7. Caso seja corporativo, precisa seguir alguma norma ou requisito tipo os do MEC para bibliotecas universit√°rias?
Após o levantamento do perfil é que devemos começar a pesquisar softwares, pedir dicas de experiências de colegas, visitar bibliotecas que já utilizam e começar a testar.

Nelson Oliveira da Silva – CRB 10/854