Arquivo da tag: empreendedorismo

Workshop Empreendedorismo – Belo Horizonte – MG

O bibliotecário é um profissional liberal, podendo prestar serviços a terceiros sem vínculo empregatício.

No momento em o mercado tem poucas vagas de emprego formal, é preciso aprender a atuar como um prestador de serviços.

Este workshop ir√° tirar suas duvidas de:

– Como divulgar meu trabalho.

– Como e quanto cobrar.

– Como fazer uma proposta de trabalho

– Preciso abrir uma empresa?

Serão apresentados exemplos práticos para orientar quem deseja atuar na prestação de serviço e tirar as duvidas quando a formalização.

Inscrição:

https://goo.gl/forms/VY51wnJZ1jhCyitg2

P√ļblico alvo: Bibliotec√°rios, Estudantes

Workshop Empreendedorismo

O bibliotecário e o arquivista são profissionais liberais, podendo prestar serviços a terceiros sem vínculo empregatício.

O mercado no momento tem poucas vagas de emprego formal, é preciso aprender a atuar como um prestador de serviços.

Este workshop ir√° tirar suas duvidas:

– Como divulgar meu trabalho?

– Como e quanto cobrar?

– Como fazer uma proposta?

– Preciso abrir uma empresa?

Serão apresentados exemplos práticos para orientar quem deseja atuar na prestação de serviço e tirar as duvidas quando a formalização e necessidade de abertura de empresa.

P√ļblico alvo: Bibliotec√°rios, Arquivistas, Estudantes

Como Fazer Networking

Todo mundo sabe que uma boa rede de contatos pode ajudar a abrir portas e ampliar as possibilidades de carreira, por√©m, muito me preocupa a forma como as pessoas ainda insistem em fazer networking. Na minha longa trajet√≥ria profissional, j√° vi de tudo: pessoas querendo estabelecer relacionamentos porque precisam de um favor ou emprego e at√© profissionais mirando de canto de olho no cart√£o da pessoa para decidir se ela ‚Äúmerece‚ÄĚ aten√ß√£o ou n√£o.

Voc√™ se viu em alguma dessas situa√ß√Ķes? Ent√£o, aviso: volte dez casas e refa√ßa o caminho, porque esse est√° completamente equivocado. Para quem aprendeu que networking n√£o passa de uma agenda com nomes de pessoas que podem oferecer algo, esque√ßa. O networking √© uma rede de relacionamento entre profissionais com interesses comuns, que precisa ser cultivada, cuidada e valorizada.

Para quem nunca olhou para o networking desta forma, elaborei uma lista de dicas que vai te ajudar a formar sua rede de relacionamento da forma mais correta e vantajosa para todos.

Tenha interesse genu√≠no: n√£o apare√ßa para seus contatos apenas quando for interessante para voc√™, busque saber as novidades das pessoas que integram sua rede de relacionamentos sem que haja um interesse como motivador. Conecte-se com seus pares de tempos em tempos, pode ser por uma mensagem ou o compartilhamento de algum conte√ļdo de interesse comum.

Seja visto: o universo virtual facilitou as conex√Ķes, principalmente porque os dias est√£o cada dia mais corridos, mas n√£o se acomode na facilidade da vida digital. Encontre com as pessoas, a conversa cara a cara faz toda a diferen√ßa.

Dê atenção: não há nada mais indelicado do que só responder a quem lhe interessa ou ao que lhe é conveniente. Responda as mensagens e convites que receber. Não importa se você não tem como ajudar ou comparecer, sempre dê um retorno, além de ser educado é uma forma de consideração e respeito com quem te procurou.

SPAM: retire da sua prática o envio de mensagens genéricas para todas as pessoas com quem tem contato. Lembre-se: networking é relacionamento, portanto, merece uma comunicação direcionada e personalizada.

Reconheça o outro: alguém da sua rede foi promovido? Então, parabenize essa pessoa pela conquista. Não há nada mais recompensador do que ter seu trabalho valorizado e reconhecido pelos pares.

Seja generoso: sempre que possível ajude as pessoas da sua rede de contato. Essa solidariedade não apenas faz bem como também estabelece uma corrente do bem. Se um dia você precisar, também haverá alguém para lhe estender a mão.

Envolva-se em projetos: olhe ao seu redor, circule na empresa em que trabalha ou esteja atento aos projetos desenvolvidos pelas pessoas da sua rede de relacionamento. Esse movimento abre possibilidades para que voc√™ possa se envolver em projetos multidisciplinares que podem ampliar seus conhecimentos e conex√Ķes.

Sofia Esteves – Linkedin

Workshop Empreendedorismo – Unifai -SP

Aproveitam pequeno lote promocional R$ 50,00 ingresso

Pode pagar com cart√£o de credito ou boleto.

https://www.sympla.com.br/workshop-aprenda-a-atuar-como–um-bibliotecario-ou-arquivista-empreendedor__306150

Workshop Aprenda a Trabalhar como um Bibliotecário Empreendedor РDivulgação

Turma do Workshop Aprenda a atuar como um Bibliotecário Empreendedor Рdia 08.06.2018 na Udesc em Florianópolis.

O workshop respondeu as principais d√ļvidas:

Como identificar uma oportunidade para empreender?
Posso trabalhar como MEI?
Quanto Cobro?
Como elaboro uma proposta de trabalho?

Próximas turmas:

Porto Alegre 14.06.2018

S√£o Paulo – Unifai – 18.08.2018 – Inscri√ß√Ķes abertas
https://www.sympla.com.br/workshop-aprenda-a-atuar-como–um-bibliotecario-ou-arquivista-empreendedor__306150

Belo Horizonte – Biblioteca P√ļblica de MG – data a confirmar.

WorkShop Aprenda a Atuar como um Bibliotec√°rio Empreendedor

O bibliotecário é um profissional liberal, podendo prestar serviços a terceiros sem vínculo empregatício.

No momento atual temos poucas vagas de emprego formal, é preciso aprender a atuar como um prestador de serviços.

Este workshop ir√° tirar suas duvidas sobre:

– Como divulgar meu trabalho?

– Como e quanto cobrar?

– Como montar uma proposta?

– Preciso abrir uma empresa?

Serão apresentados exemplos práticos para orientar quem deseja atuar na prestação de serviço e tirar as duvidas quando a formalização e necessidade de abertura de empresa

Palestrante:

Nelson Oliveira da Silva é bibliotecário, atua como consultor desde 2005 e já ministrou diversas palestras e cursos sobre empreendedorismo na biblioteconomia , moderador e gestor de conteudo do site www.bibliovagas.com.br

Inscri√ß√Ķes:
https://www.sympla.com.br/workshop-aprenda-a-atuar-como-um-bibliotecario-empreendedor__284559

Você é bibliotecário e está desempregado?

VOC√ä √Č BIBLIOTEC√ĀRIO E EST√Ā DESEMPREGADO?

√Č poss√≠vel apontar algumas demandas que os bibliotec√°rios podem empreender por meio da presta√ß√£o de servi√ßos na √°rea de gest√£o da informa√ß√£o al√©m do espa√ßo biblioteca-centro de documenta√ß√£o aplicando/adaptando conhecimentos aprendidos na gradua√ß√£o e buscando se especializar p√≥s-formado. O segredo √© pensar fora da caixa e ir al√©m do que estamos acostumados. Ter vis√£o estrat√©gica do mercado e desenvolver compet√™ncias para tal.
Nichos como pesquisas de mercado, desenvolvimento de aplicativos, programas, sistemas de informa√ß√£o, monitoramento de publica√ß√Ķes e fontes especializadas (intelig√™ncia competitiva), projetos de mem√≥ria institucional, editora√ß√£o eletr√īnica, gest√£o eletr√īnica de documentos, arquitetura da informa√ß√£o na web, gest√£o de dados cient√≠ficos, personal organizer, gest√£o de processos, reda√ß√£o e pesquisas de patentes, organiza√ß√£o de prontu√°rios m√©dicos, entre outros que ser√£o citados e explorados a seguir.
No caso da pesquisas de mercado, √© uma importante ferramenta para obter informa√ß√Ķes precisas sobre um produto, servi√ßo, mercado ou p√ļblico-alvo pois ajudam as empresas na tomada de decis√£o e/ou planejamento de algo com valor agregado para seus clientes. O bibliotec√°rio conhece fontes de informa√ß√£o e sabe como recuperar a informa√ß√£o para poder realizar uma an√°lise ou somente entregar os dados coletados para quem precisa.
No desenvolvimento de aplicativos, programas, sistemas de informa√ß√£o, mesmo que o bibliotec√°rio n√£o tenha conhecimentos espec√≠ficos nessa √°rea, ele pode contratar um profissional para ajudar no desenvolvimento para atender esse nicho. Muitas empresas atualmente tem necessidade de organizar as informa√ß√Ķes em sistemas pr√≥prias que permitam a completa recupera√ß√£o. Nesse caso, o bibliotec√°rio com conhecimento especializado em linguagens document√°rias, indexa√ß√£o, metadados, padroniza√ß√£o de termos, constru√ß√£o de vocabul√°rios, entre outros que ser√£o muito √ļteis nesse caso espec√≠fico.
Outro nicho √© a presta√ß√£o de servi√ßos para monitoramento de publica√ß√Ķes e fontes especializadas, tamb√©m chamado de servi√ßo de intelig√™ncia competitiva, em que o bibliotec√°rio usar√° todos seus conhecimentos voltados para pesquisa, principalmente em fontes cient√≠ficas e tecnol√≥gicas, para coletar dados que possam ser usados por empresas na concep√ß√£o de novos produtos e servi√ßos.
Muitas empresas e organiza√ß√Ķes governamentais tem o interesse em projetos de mem√≥rias institucionais, n√£o somente para registro e preserva√ß√£o de informa√ß√Ķes sobre a pr√≥pria institui√ß√£o e seus produtos, como tamb√©m para promover a visibilidade da marca e fortalecimento de seu mercado. √Č comum encontrar historiadores e arquivistas que atuam nesse nicho, por√©m o bibliotec√°rio tamb√©m tem compet√™ncia para gerir essa atividade.
A editora√ß√£o eletr√īnica em portais de peri√≥dicos cient√≠ficos ou mesmo em revistas comerciais √© outro campo que oferece muitas possibilidades de atua√ß√£o para bibliotec√°rios prestarem servi√ßos, visto que podem aplicar seus conhecimentos na organiza√ß√£o, padroniza√ß√£o, recupera√ß√£o, tratamento e preserva√ß√£o destas informa√ß√Ķes. Por terem conhecimentos em programas de pl√°gio, normaliza√ß√£o e indexa√ß√£o dos artigos em bases de dados, os bibliotec√°rios podem prestar esse servi√ßo para diferentes institui√ß√Ķes.
Outra oportunidade que destaca-se √© gest√£o eletr√īnica de documentos, principalmente nas empresas, que h√° necessidade real de organizar os documentos produzidos e recebidos para facilitar suas rotinas e processos organizacionais que demandam o uso das informa√ß√Ķes contidas nesses documentos. √Č percept√≠vel a atua√ß√£o de arquivistas nesse espa√ßo, por√©m nada impede a atua√ß√£o de bibliotec√°rio visto sua forma√ß√£o.
A gest√£o e mapeamento de processos tamb√©m pode ser realizada por bibliotec√°rios que sabem muito bem coletar e organizar as informa√ß√Ķes de atividades, insumos, entradas e sa√≠das para desenhar e modelar processos facilitando o fluxo informacional nas empresas por meio do uso de ferramentas e softwares como √© o caso do Bizagi que auxilia na organiza√ß√£o das atividades e tarefas dos setores em uma institui√ß√£o, principalmente para reorganizar as atividades, profissionais envolvidos, reduzir custos e tempo de determinadas atividades.
Outra √°rea que tem crescido muito e vemos v√°rios tipos de profissionais atuando por ser multidisciplinar √© como ‚Äúpersonal information‚ÄĚ ou ‚Äúpersonal organizer‚ÄĚ que est√° relacionado a uma consultoria na organiza√ß√£o, seja de objetos ou de informa√ß√£o. √Č poss√≠vel perceber a import√Ęncia da atua√ß√£o desse profissional na organiza√ß√£o e atualiza√ß√£o de informa√ß√Ķes no curr√≠culo lattes, em caixas de e-mails ou mesmo para organiza√ß√£o de informa√ß√Ķes para elaborar relat√≥rios de pesquisa, relat√≥rios de viagens de estudos, de memoriais descritivos, de relat√≥rios de est√°gios probat√≥rios (nicho professores e pesquisadores), entre outras demandas existentes tanto no ramo empresarial quanto educacional.
A √°rea de arquitetura da informa√ß√£o tamb√©m oferece espa√ßo para bibliotec√°rios atuarem no que diz respeito √† organiza√ß√£o e curadoria de conte√ļdos na web. √Č importante que essas plataformas estejam estruturadas, acess√≠veis, padronizadas para facilitar a busca e usabilidade da informa√ß√£o. O bibliotec√°rio pode contribuir muito categorizando e disponibilizando as informa√ß√Ķes de uma forma que agregue valor na recupera√ß√£o e traga vantagem competitiva para os neg√≥cios de uma empresa, como √© o caso dos sites de com√©rcio eletr√īnico. O profissional pode se especializar nessa √°rea, montar uma equipe e atender v√°rias empresas que atuam com com√©rcio eletr√īnico ou mesmo em sites governamentais que precisam ter as informa√ß√Ķes organizadas para facilitar o acesso, dissemina√ß√£o e recupera√ß√£o. Al√©m de sites comerciais, tem intranets das institui√ß√Ķes, softwares e comunidades online que requer a estrutura√ß√£o de todas as informa√ß√Ķes dispon√≠veis nesses ambientes. √Č necess√°rio se especializar nessa √°rea e aprofundar conhecimentos porque a fun√ß√£o principal de um arquiteto da informa√ß√£o √© a chamada ‚ÄúUser Experience Design (ou UX designer), ou seja, o profissional que pensa na experi√™ncia que o usu√°rio ter√° quando interagir com as plataformas ou mesmo algum produto digital.
Também é possível se especializar em outros nichos de mercado que envolvem tendências na ciência e tecnologia. Um é a redação e pesquisas de patentes e outro é a gestão de dados científicos.
No que tange as patentes, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e a Funda√ß√£o Get√ļlio Vargas oferecem capacita√ß√Ķes nessa √°rea. √Č comum perceber em inventores e pesquisadores a dificuldade em mapear produtos ou prot√≥tipos em bases de dados especializadas, assim como redigir e registrar uma patente, levando a perda de tempo e de tamb√©m onerando os custos envolvidos nesse processo. O bibliotec√°rio com seu conhecimento nessa √°rea de fontes e recursos de informa√ß√£o tem muito espa√ßo para atuar nesse nicho se especializando e prestando servi√ßos para esse p√ļblico-alvo. Registrar uma inven√ß√£o no Brasil garante vinte anos de explora√ß√£o comercial, ou seja, tem vantagens nesse processo e espa√ßo para bibliotec√°rios atenderem essa demanda.
Outra oportunidade nessa √°rea de ci√™ncia e tecnologia √© a presta√ß√£o de servi√ßos para pesquisadores em rela√ß√£o aos dados de pesquisas coletados, principalmente para institutos de pesquisas que geram dados quantitativos em grande escala. A ci√™ncia produz uma quantidade cada vez maior de dados que s√£o utilizados em v√°rios estudos e pesquisas, √© preciso gerir e integrar esses dados por meio da cria√ß√£o de sistemas estruturados. Pesquisadores de carreira com dedica√ß√£o exclusiva muitas vezes n√£o sabem como organizar, preservar ou mesmo tratar os dados coletados e abre um outro nicho de atua√ß√£o para bibliotec√°rios para gerenciar plataformas de compartilhamento de dados entre diversos pesquisadores inclusive. Silva (2016) apresenta v√°rias a√ß√Ķes de apoio que os bibliotec√°rios podem prestar servi√ßos para elaborar um projeto de ciclo de vida para os dados cient√≠ficos pois exige solu√ß√Ķes de planejamento que incluem conhecimentos espec√≠ficos sobre a escolha do reposit√≥rio e t√©cnicas de armazenamento para a conserva√ß√£o e o uso permanente dos dados como chave para o √™xito de um projeto de pesquisa.
A presta√ß√£o de servi√ßos na √°rea de gest√£o da informa√ß√£o tamb√©m pode ser especializada para determinados campos, como √© o caso da √°rea da sa√ļde ou em escrit√≥rios jur√≠dicos e cont√°beis. Em ambos casos, o bibliotec√°rio pode abrir sua empresa, capacitar uma equipe e realizar esse tipo de servi√ßo para v√°rios escrit√≥rios ou cl√≠nicas.
No caso da √°rea da sa√ļde, os medicos necessitam muitas vezes lutar contra o tempo para realizar diagn√≥sticos ou ter acesso a exames feitos para facilitar a tomada de decis√£o na escolha de algum tratamento ou medicamento aos pacientes. Tendo essas informa√ß√Ķes registradas em um sistema que possibilite, inclusive acesso online, a prontu√°rios, receitas, exames e outras informa√ß√Ķes sobre a vida do paciente facilita o processo e pode salvar vidas. No caso de escrit√≥rios jur√≠dicos ou cont√°beis, ter as informa√ß√Ķes atualizadas de jurisprud√™ncias, projetos de leis em andamento, publica√ß√Ķes em di√°rio ofcial no ramo de atua√ß√£o espec√≠fico de escrit√≥rio, legisla√ß√£o, entre outras informa√ß√Ķes pertinentes ao nicho do escrit√≥rio facilita a elabora√ß√£o de um processo, defesa ou acusa√ß√£o de um r√©u, ganho ou perda de causas judiciais, otimiza recursos e tempo, entre outras vantagens que a efetiva gest√£o da informa√ß√£o pode contribuir.
Em plena sociedade da informação, é quase que inadmissível não pensar em explorar mercados de empresas privadas que necessitam de profissionais com competência para realizar a efetiva gestão da informação em seus ambientes visto que a organização e recuperação plena desta contribui com qualidade dos serviços prestados pela empresa, otimiza recursos, agrega valor à marca e também garante a competitividade frente aos concorrentes.
O atual mundo do trabalho exige um perfil profissional diferenciado e que esteja atento às mudanças, demandas e oportunidades para empreender, dessa forma a criação de um negócio na área de informação por um bibliotecário precisa ser focado em serviços voltados para demandas específicas do mercado e da sociedade em si.
Em recente levantamento, foram encontradas em torno de sessenta empresas criadas por profissionais da Biblioteconomia que prestam serviços nas mais diferentes áreas:

‚ÄĘ Pro Arquivo
‚ÄĘ Ged Brazil
‚ÄĘ Acesso Consultoria & Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Bibliotec
‚ÄĘ Modal
‚ÄĘ Bibliohelp
‚ÄĘ Moonie Gest√£o Documental
‚ÄĘ Indexare
‚ÄĘ InfosDoc
‚ÄĘ Class Cursos
‚ÄĘ Index Informa√ß√£o Integrada
‚ÄĘ Biblioo
‚ÄĘ Soluarq – Solu√ß√Ķes em Arquivos e Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Guzzo Projetos
‚ÄĘ Informar Ger√™ncia de Documentos e Informa√ß√Ķes
‚ÄĘ Lepidus Tecnologia
‚ÄĘ Info Content Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Extralibris
‚ÄĘ FM Treinamentos e Palestras
‚ÄĘ T-Shirts Mural
‚ÄĘ Editora Mal√™
‚ÄĘ Umanus
‚ÄĘ Soluarq – Solu√ß√Ķes em Arquivos e Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Datacoop
‚ÄĘ Heloisa Costa
‚ÄĘ Personal Bibliotec√°ria
‚ÄĘ Biblion Consutoria
‚ÄĘ Praxis Solu√ß√Ķes
‚ÄĘ Ebig
‚ÄĘ Info Millenium
‚ÄĘ Acervo Organiza√ß√£o e Guarda de Documentos
‚ÄĘ CDM Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Livraria Africanidades
‚ÄĘ Equipe Normalize
‚ÄĘ Formatum Consultoria
‚ÄĘ Biblio Ideias
‚ÄĘ MC Normaliza√ß√Ķes
‚ÄĘ Biblio Art Consultoria
‚ÄĘ InfosDoc
‚ÄĘ Redata
‚ÄĘ Bibliocoop
‚ÄĘ Mila Organiza
‚ÄĘ Normaliza√ß√£o Eficiente
‚ÄĘ Archivari
‚ÄĘ Control Informa√ß√£o e Documenta√ß√£o
‚ÄĘ Innova Gest√£o
‚ÄĘ NS Consultaria Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Ideia Consultoria e Treinamentos
‚ÄĘ Optimize Solu√ß√Ķes
‚ÄĘ Normalizar Consultoria
‚ÄĘ Zilli Gest√£o de Documentos
‚ÄĘ Ebig
‚ÄĘ Egr√©gora Intelig√™ncia
‚ÄĘ Metodol√≥gica Gest√£o da Informa√ß√£o
‚ÄĘ Triagem Consultoria
‚ÄĘ InfosDoc
‚ÄĘ Content Mind
‚ÄĘ Ebig
‚ÄĘ eDoc Consultoria

Saiba mais em www.empreendebiblio.com

Fonte: Facebook Dani Spudeit

Dispon√≠vel em: „Ääwww.facebook.com/danispudeit„ÄčAcesso em: 30 de janeiro de 2018.

Dicas sobre a Prestação de Serviço

Cuidados com a Prestação de Serviço

Parabéns, você conseguiu um cliente e ele quer contratá-lo, e agora?

Agora é um momento importante que muitos empreendedores esquecem dos detalhes.

Muitos trabalhos s√£o conseguidos atrav√©s de amigos, indica√ß√Ķes, isto cria um ambiente informal baseado apenas na confian√ßa entre as partes.



Você deve documentar a proposta de trabalho.

A falta de formaliza√ß√£o causa muitos atritos, criam expectativas diferentes entre as partes, onde cada um diz que ‚Äúpensou‚ÄĚ que o combinado era algo diferente do que foi entregue.

Para evitar estes conflitos, elabore uma proposta de trabalho que deve conter claramente:

1- Quem est√° contratando e quem ir√° realizar o trabalho.
2- A descrição detalhada do que será executado com data de início, carga horária diária ou semanal, e a previsão de entrega do trabalho.
3- O valor que ser√° pago por cada etapa, e o valor total.
4- A forma de pagamento (cheque, deposito em conta, em dinheiro, etc.) . As datas que os pagamentos ser√£o realizados, e a multa por atraso no pagamento.
5- Que tipo de recibo você precisará entregar: recibo, RPA, nota fiscal.
6- Deixar claro quem √© o representante do contratante que ir√° fazer o ‚Äúaceite‚ÄĚ do trabalho e identificar o que precisa ser modificado. Isto evita voc√™ terminar o trabalho e aparecer algu√©m dizendo que n√£o vai pagar, porque n√£o era o que ela queria.
7- Assinatura do representante do contratante e do contratado. Hoje em dia é possível aceitar até um email, ou mensagem, desde que fique claro que quem contrata aceitou sem ressalvas a proposta apresentada.

www.nelsonoliveiradasilva.com.br/cursos