Arquivo da tag: mercado de trabalho

Por que a Biblioteconomia não é popular?

Por que a Biblioteconomia não é popular?

Costumo acompanhar com atenção tudo o que é publicado sobre biblioteconomia e bibliotecas nas mídias e redes sociais.

Percebo que na maioria das vezes o tom é negativo ou desanimador, como na novela “O guardião” onde a professora é convidada a assumir o cargo de bibliotecária, ou o ladrão de livros raros que já virou filme.

Gostaria de achar um perfil nas redes sociais, feito por bibliotecário, que tivesse mais de 100 mil seguidores, seria um indicativo de atingir um publico maior que os próprios bibliotecários.

Existem vários canais, perfis, sites, blogs, feitos por bibliotecários. A maioria não dura mais que 2 anos, produz pouco e não consegue crescer.

Esta dificuldade de ser “popular” reflete no desconhecimento da profissão, na sua pouca valorização, baixos salários, poucas ofertas de emprego e desemprego alto.

O famoso “Biblio o que?” ainda é um realidade e deixa claro que profissionais, universidades e entidades representativas não conseguiram criar formas eficientes de divulgação para a sociedade em geral.

O marketing pessoal, profissional é algo que precisa de um trabalho bem planejado e feito em conjunto.

Acredito que a solução estaria no fortalecimento das Associações que poderiam focar em ações para o público externo, não adianta continuarmos fazendo somente congressos, seminários onde o público é composto 99% por bibliotecários.

A sociedade e as empresas só irão descobrir a nossa importância se formos capazes de divulgar as boas realizações e as áreas onde a nossa atuação pode impactar positivamente.

Estágio: Aprendizagem ou mão de obra barata?

Todos os cursos ,a partir dos anos finais do ensino fundamental, permitem que o aluno trabalhe como estagiário.

Alguns cursos tem o estágio obrigatório no currículo, atividade necessária para a aprovação final.

Existe também o estágio não obrigatório, que é muitas vezes  a porta de entrada dos jovens no mercado de trabalho.

O estágio é uma oportunidade para o estudante conhecer a atividade na prática da sua futura profissão, ou apenas uma chance de obter renda.

Na atual situação econômica é preciso conhecer os direitos e deveres previstos na Lei do Estágio 11.788 de 25.09.2008. 

Definições: 

Estágio obrigatório é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma.

Estágio não-obrigatório é aquele desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória.

Para qualquer forma de estágio é necessário:

Celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino;

Compatibilidade entre as atividades desenvolvidas no estágio e aquelas previstas no termo de compromisso.

Carga horária máxima:

4 (quatro) horas diárias e 20 (vinte) horas semanais, no caso de estudantes de educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional de educação de jovens e adultos;

6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais, no caso de estudantes do ensino superior, da educação profissional de nível médio e do ensino médio regular.

Direitos do estagiário:

contratar em favor do estagiário seguro contra acidentes pessoais, cuja apólice seja compatível com valores de mercado, conforme fique estabelecido no termo de compromisso;

Sinais  que a oportunidade é um sub-emprego, disfarçado de estágio:

– Não existe um termo de compromisso entre: instituição de ensino, aluno e empresa.

– Não existe um supervisor de estágio que emite um relatório de desempenho semestral que é enviado para a instituição de ensino.

– O estagiário não consegue liberação do trabalho, ou redução da carga horária nas semanas de provas.

– As atividades realizadas pelo estagiário e a cobrança delas, é igual aos demais funcionários do setor, não havendo oportunidade de aprendizagem ou orientação para a execução das mesmas.

O estágio é uma excelente oportunidade para o jovem se iniciar no mercado do trabalho, mas é preciso uma fiscalização atuante dos conselhos profissionais e dos fiscais do ministério do trabalho para que não se transforme em mais uma forma de explorar o trabalhador.

 

 

Dicas para quem está a procura de Emprego ou Trabalho

O primeiro ponto é não ficar somente procurando vagas em sites de emprego, jornais ou nas redes sociais.

Você precisa aprender a se divulgar.

Antes de pensar em como se divulgar é preciso criar LEADS. O que é um LEAD? Lead é um contato, pode ser um email, telefone, perfil de rede social, etc, o importante é saber identificar o perfil deste lead para poder direcionar o que, e como enviar a sua divulgação.



Você deve dividir os leads em categorias: família, contatos, clientes, amigos, ou pelos segmentos que você quer atuar.

Se a sua experiencia ou vontade for atuar em Biblioteca Escolar, todas as bibliotecas da sua região serão LEADS.

Para cada categoria será um tipo de mensagem.

Outro ponto importante é que antes da divulgação é preciso desenvolver autoridade, reconhecimento, relacionamento e engajamento.

Ninguém gosta daquele amigo que só liga quando precisa pedir algo, ou aqueles emails ou telefonemas que estão sempre vendendo algo.

Autoridade/Reconhecimento, você desenvolve sendo referência no seu campo de atuação, isto é uma avaliação externa, não adianta se apresentar como autoridade se somente você acha isto. O seu numero de seguidores nas redes sociais pode ser um termômetro da sua autoridade/reconhecimento, desde que você as utilize para difundir suas ideias, projetos, trabalhos. Não adianta usar a rede social apenas para divulgar as festas e passeios que você foi, por isto é importante saber utilizar as redes sociais, que são praticamente gratuitas, para a sua divulgação profissional.

Relacionamento/Engajamento é construído através de suas postagens, artigos, participações em eventos profissionais ou sociais. É estar disponível a ajudar, dar dicas sem pedir algum retorno direto pela ação.

Outro ponto importante é sair da zona de conforto: costumamos visitar sempre os mesmos locais e amigos.

Na biblioteconomia temos a mania de ir apenas nos eventos da nossa área e preparar trabalhos apenas para os eventos da nossa área, quando na maioria das vezes o público que precisa dos nossos serviços estão em eventos de outras áreas. Cada um deve procurar identificar eventos onde está o seu possível cliente/ empregador e desenvolver estrategias de participação.

Divulgar que faz trabalhos de referencia bibliográfica, normalização de trabalhos, em grupos de bibliotecários é chover no molhado.

A divulgação mais básica é um cartão profissional, que você entrega em uma conversa pessoal quando a pessoa demonstra interesse na sua atividade profissional.

Desenvolva a sua apresentação pessoal “elevator pitch”, é aquela resposta de no máximo 1 minuto que você usa quanto te perguntam: “O que você faz?” “No que você trabalha?”

Precisamos aprender a definir o nosso “mercado”, o perfil de quem precisa dos nossos serviços/produtos e em cima disto definir as melhores estratégias de divulgação, mas antes de divulgar é preciso construir um relacionamento com este mercado.

O mercado atual tem muitos desempregados, por isto é necessário ter iniciativa e aprender a criar oportunidades e desenvolver estratégias que nos deem destaque neste ambiente concorrido.

www.nelsonoliveiradasilva.com.br/cursos

Bate Papo sobre o Mercado de Trabalho na Biblioteconomia- 28/11 – Porto Alegre – RS

Vamos realizar um bate-papo para discutir o mercado de trabalho, as ameaças da nova legislação e como criar alternativas para aumentar a nossa empregabilidade.

O público alvo são os Bibliotecários, Técnicos de Biblioteconomia, estudantes da área na região da grande Porto Alegre.

Serão apresentados dicas de como calcular seu valor/hora, montar um orçamento, o momento correto para abrir uma empresa, as oportunidades que existem para trabalhar como MEI.

Organizador do Bate-Papo:
Nelson Oliveira da Silva – Bibliotecário formado pela UFRGS.
Atuou como Auditor interno da ISO 9000 e como Avaliador do PGQP-RS. Experiência em Biblioteca Universitária, implantação e treinamento de sistemas de automação de bibliotecas. Trabalha com consultoria desde 2005. Moderador e gestor de conteúdo do Bibliovagas.

Local:
Centro Coworking & Escritórios
Rua Borges de Medeiros, 659 sala 901 – Porto Alegre – RS

Dia 28/11 das 19h às 21h
A data e horário estão em aberto tambem, aguardando sugestões. Podendo ser realizado quarta ou sábado.

Apenas 15 vagas

Ingressos

Encontro de Bibliotecários – Porto Alegre – RS

Encontro de Bibliotecários PAULUS
Objetivo:
Programação
8h – Credenciamento
8h15 – O caminho dos livros e seus projetos – Por Zéh Henrique
9h45 – Coffee break
10h – Seleção de materiais para a biblioteca escolar – Por Mary Branchi
11h30 – Almoço
13h15 – (En)Contador de histórias | Por Zéh Henrique
13h30 – Precisamos contar? | Por Zéh Henrique
15h – Coffee break
15h15 – O novo perfil profissional do bibliotecário: transformações e oportunidades | Por Mary Branchi
17h – Encerramento

Facilitador:
Mary Branchi – Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, com especialização em Tecnologias e Educação a distância na Unicid. Exerceu cargos de coordenação em bibliotecas escolares, técnicas e universitárias. Atua como palestrante e consultora em gestão de serviços de informação, educação a distância, projetos literários e
formação de bibliotecários.

José Henrique Alves de Castilhos (Zéh Henrique) – Graduado em Artes Visuais pela Universidade de Caxias do Sul – UCS. Conhecido por seu projeto de contação de histórias, o “(En)Contador de histórias”, que já esteve em toda a Serra Gaúcha e região. Autor do livro Era outra vez…, lançado pela editora Metamorfose. Roteirista e produtor teatral. Natural de Caxias do Sul, foi responsável pela Biblioteca Infantil do Colégio La Salle Caxias e desenvolveu projetos literários com escritores nacionais e editoras, incluindo a PAULUS Editora. Está à frente do Canal Criaturas, no YouTube, em que toda semana há novas contações de histórias.

Público-alvo:
Bibliotecários, auxiliares de biblioteca, professores de Literatura e Língua Portuguesa, coordenadores e diretores.

Endereço:
Rua Dr. José Montaury, 155 — Centro CEP: 90010-090

Investimento:
R$ 30,00 (com direito a certificado com carga horária de 8 horas)

(51) 3227.7313 / WhatsApp: (51) 98236.0025

portoalegre@paulus.com.br